logo
logo
banner show
 

Músicas - Letras


A Culpa é Dela

A Situação Do Brasileiro

Abre o jogo Coração

Adubando as Raízes

Água no Feijão

Alto Astral

Amante Preferido

Amor Persistente

Apaixonado Pela Sogra

Bala Perdida

Barriga Na Costela

Bate o Tambor

Bobeou tá na Poeira

Bonita e Faceira

Cem Por Cento

Cerveja Na Goela

Chão Mineiro

Cheiro de saudade

Choro da Natureza

Conversa de Bar

Coração Machucado

Coração Sertanejo

Coração Turbinado

Curva Do Adeus

Declive da Ilusão

É Nóis No DVD

Em Outras Dimensões

Embala Morena

Está Do Jeito Que Eu Queria

Eu Quero Bis

Fechou o Tempo

Fragmentos De Saudade

Fuá

Ilusão

Levanta O Copo

Lua Dos Sonhos Meus

Machucado de Paixão

Mais Morto Do Que Vivo

Mete a Botina


Na Boca Do Brasil

Na Fogueira Da Paixão

Não Bebo Mais

Não Importa À Quem Doer

Nem Morto

Nem o Tempo Cicatriza

No Embalo Da Marvada

No Pique Da Madrugada

O Choro Da Natureza

O Povo Quer Folia

Objetos Esquecidos

Outra Briga

Ovelha Perdida

Página Da Saudade

Passa a Mão

Pássaro Ferido

Pegadas De Deus

Pergunte à Lua

Poeira da Saudade

Quando O Problema É Paixão

Quebradeira

Resto de Cerveja

Rodeio da Mulher

Saudade De Sentinela

Saudades De Um Boiadeiro

Só Manguaçando

Só Me Resta a Solidão

Solidão Já Se Mandou

Sonhei Com Ela

Sou Bonito No Cascalho

Tem Mulher Demais No Mundo

Teu fogo

To Daquele Jeito

Triste Lamento

Trovejou daquele Lado

Um Cowboy Na Contra-Mão

Vento do Adeus

Vou Voltar à Ser Peão

Xote do Caranguejo

Água No Feijão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Estou voltando pra casa

Põe mais água no feijão

Da ilusão cortei as asas

Já briguei com o coração

 

Volto no memos caminhos

Vou juntando meus pedaços

Vou buscar o velho ninho

Que deixei em outros braços

 

Estou voltando pra casa

Põe mais água no feijão

Da ilusão cortei as asas

Já briguei com o coração

 

Fui errado hoje vejo

Não ouvindo a razão

Vou buscar em seus beijos

O sabor do seu perdão

 

Não sabia que aventura

Sempre acaba em solidão

O que eu fiz foi loucura

Volto à sua procura

Põe mais água no feijão

Fui errado hoje vejo

Não ouvindo a razão

Vou buscar em seus beijos

O sabor do seu perdão

 

Não sabia que aventura

Sempre acaba em solidão

O que eu fiz foi loucura

Volto à sua procura

Põe mais água no feijão

Estou voltando pra casa

Põe mais água no feijão

Da ilusão cortei as asas

Já briguei com o coração

Estou voltando pra casa

Põe mais água no feijão

Põe mais água no feijão

Põe mais água no feijão

×

A Culpa É Dela

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

Tem travesseiro sobrando no canto da minha cama

tem saudade machucando

o meu coração que ama

Estou vivendo no sufoco lamentando noite e dia

estou ficando quase louco

em cima de uma cama fria

Estou fazendo absurdo por viver aqui sem ela

estou querendo quebrar tudo

e a culpa é toda dela.

 

A culpa é dela, não sou eu o culpado

por culpa dela amanheço todo dia acordado

A culpa é dela, não sou eu o culpado

por culpa dela amanheço todo dia acordado.

Tem travesseiro sobrando no canto da minha cama

tem saudade machucando

o meu coração que ama

Estou vivendo no sufoco lamentando noite e dia

estou ficando quase louco

em cima de uma cama fria

Estou fazendo absurdo por viver aqui sem ela

estou querendo quebrar tudo

e a culpa é toda dela.

 

A culpa é dela, não sou eu o culpado

por culpa dela amanheço todo dia acordado

A culpa é dela, não sou eu o culpado

por culpa dela amanheço todo dia acordado.

×

Abre o Jogo Coração

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

A fronha do meu travesseiro amanheceu toda molhada

sei que à noite não choveu

e não tem telha quebrada

Parece que a situação está ficando complicada

Já estou desconfiando

que tem coração chorando no silêncio da madrugada.

 

Se tem pranto, tem saudade

só chora quem tem paixão

Melhor dizer a verdade, abre o jogo coração

Se a paixão não deu em nada

se o seu tempo foi perdido

Que adianta nas madrugadas

relembrar águas passadas, ficar chorando escondido.

Quando o sol desaparece com a noite vem a lua

saudade no peito cresce e com ela vou prá rua

O silêncio me aborrece

a lembrança ainda atua

No beijo da solidão

sinto o gosto da paixão e o meu pranto continua.

 

Se tem pranto, tem saudade

só chora quem tem paixão

Melhor dizer a verdade, abre o jogo coração

Se a paixão não deu em nada

se o seu tempo foi perdido

Que adianta nas madrugadas

relembrar águas passadas, ficar chorando escondido.

Se a paixão não deu em nada

se o seu tempo foi perdido

Que adianta nas madrugadas

relembrar águas passadas, ficar chorando escondido.

×

Alto Astral

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Já cantei a solidão

dos que levam no coração a dor de uma saudade

Já cantei também o pranto

dos que choram pelos cantos quando chega o fim da tarde

Já cantei as desilusões

dos que creram nas paixões que viraram fantasias

resolvi virar a mesa

não canto mais tristeza, agora é só alegria.

 

Só alegria, só alegria

é alto astral dia e noite, noite e dia

Só alegria, só alegria

resolvi virar a mesa

não canto mais tristeza, agora é só alegria

Só alegria, só alegria!

 

Já cantei a solidão

dos que levam no coração a dor de uma saudade

Já cantei também o pranto

dos que choram pelos cantos quando chega o fim da tarde

Já cantei as desilusões

dos que creram nas paixões que viraram fantasias

resolvi virar a mesa

não canto mais tristeza, agora é só alegria.

Só alegria, só alegria

é alto astral dia e noite, noite e dia

Só alegria, só alegria

resolvi virar a mesa

não canto mais tristeza, agora é só alegria

Só alegria, só alegria

é alto astral dia e noite, noite e dia

Só alegria, só alegria

resolvi virar a mesa

não canto mais tristeza, agora é só alegria

Só alegria, só alegria

é alto astral dia e noite, noite e dia

Só alegria, só alegria!

×

Amante Preferido

Compositor: Domiciano e Rionegro

 

Já estive em sua vida

fui o calor que aquecia sua chama

Em suas noites fui a peça preferida

na penumbra excitante de sua cama

Nos momentos delirantes do prazer

era eu o objeto mais querido

Por tudo isso não consigo esquecer

que já fui o seu amante preferido.

 

Nossos encontros transformaram-se em miragens

no deserto que invadiu nossos destinos

Aos poucos nós perdemos a coragem

de continuar nosso amor clandestino.

O tempo destrui nosso romance

e esquecemos todo bem que ele nos fez

Ah! se a vida nos desse outra chance

voltaria à pecar mais uma vez.

Nos momentos delirantes do prazer

era eu o objeto mais querido

Por tudo isso não consigo esquecer

que já fui o seu amante preferido.

 

Nossos encontros transformaram-se em miragens

no deserto que invadiu nossos destinos

Aos poucos nós perdemos a coragem

de continuar nosso amor clandestino.

O tempo destrui nosso romance

e esquecemos todo bem que ele nos fez

Ah! se a vida nos desse outra chance

voltaria à pecar mais uma vez.

×

Amor Persistente

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Enquanto pulsar meu pulso

Sentirei o impulso do meu coração

Enquanto cantar meu canto

Cantarei o encanto dessa paixão

 

Enquanto caminhar meus passos

Buscarei teus braços

Em qualquer direção

Enquanto aguardo o meu fim

Vou dizendo que sim

E ouvindo teu não

Enquanto aguardo o meu fim

Vou dizendo que sim

E ouvindo teu não

 

Nesse amor eu persisto

E não importa até quando

Tu não lembras que existo

Porém eu insisto

Morrerei te amando

Tu não lembras que existo

Porém eu insisto

Morrerei te amando

 

Enquanto pulsar meu pulso...

×

Apaixonado Pela Sogra

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

A paixão parece um vício, tem a força de uma droga

quando me dei conta disso

estava preso no fetiço do olhar da minha sogra.

 

Quando ela vai lá em casa me embriaga com seu cheiro

o meu sangue vira brasa me queimando o corpo inteiro

Vou perder essa parada, vou cair nessa armadilha

estou de cabeça virada

e o pior é que a danada é mais charmosa que a filha.

 

A paixão parece um vício, tem a força de uma droga

quando me dei conta disso

estava preso no fetiço do olhar da minha sogra.

A paixão parece um vício, tem a força de uma droga

quando me dei conta disso

estava preso no fetiço do olhar da minha sogra.

O meu sogro é um coitado, de nada não desconfia

estou livre de cunhado, não tem macho na família

Ela diz que está numa boa, sem nenhum impedimento

De paixão ninguém enjoa

vou sair com a coroa e que se dane o casamento.

 

A paixão parece um vício, tem a força de uma droga

quando me dei conta disso

estava preso no fetiço do olhar da minha sogra.

A paixão parece um vício, tem a força de uma droga

quando me dei conta disso

estava preso no fetiço do olhar da minha sogra.

×

A Situação Do Brasileiro

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

A situaçao do Brasileiro é uma sopa sem tempero

está difícil de engolir

Quase à beira da falência, vai gritando por clemência

sem ninguém prá lhe ouvir

Prá chorar já não tem hora, Deus do céu, Nossa Senhora

como sofre o coitado

Anda no fio da navalha e até mesmo quem trabalha

não dá conta do recado.

 

O filho chora de fome, a mulher de desepero

Brasileiro está surrado

mais que couro de pandeiro

De tanto o pobre rezar está de joelho esfolado

seu desepero é tanto,

tá rezando até prá Santo que não foi canonizado.

O filho chora de fome, a mulher de desepero

Brasileiro está surrado

mais que couro de pandeiro

De tanto o pobre rezar está de joelho esfolado

seu desepero é tanto,

tá rezando até prá Santo que não foi canonizado.

A situaçao do Brasileiro é uma sopa sem tempero

está difícil de engolir

Quase à beira da falência, vai gritando por clemência

sem ninguém prá lhe ouvir

Prá chorar já não tem hora, Deus do céu, Nossa Senhora

como sofre o coitado

Anda no fio da navalha e até mesmo quem trabalha

não dá conta do recado.

 

O filho chora de fome, a mulher de desepero

Brasileiro está surrado

mais que couro de pandeiro

De tanto o pobre rezar está de joelho esfolado

seu desepero é tanto,

tá rezando até prá Santo que não foi canonizado.

O filho chora de fome, a mulher de desepero

Brasileiro está surrado

mais que couro de pandeiro

De tanto o pobre rezar está de joelho esfolado

seu desepero é tanto,

tá rezando até prá Santo que não foi canonizado.

Seu desepero é tanto,

tá rezando até prá Santo que não foi canonizado.

×

Bala Perdida

Compositor: Domiciano e Rionegro

 

Foi entrando em minha vida feito lua na madrugada

foi me deixando dem saída

com a alma apaixonada

Foi assim tão de-repente feito chuva no fim da tarde

e a ilusão que estava ausente

veio em forma de felicidade.

 

Foi paixão misturada com loucura

feito o vento que ninguém segura

não tive forças para impedir

Foi o tudo que faltava em mminha vida

seu olhar foi bala perdida

que conseguiu me atingir.

 

Foi assim tão de-repente feito chuva no fim da tarde

e a ilusão que estava ausente

veio em forma de felicidade.

 

Foi paixão misturada com loucura

feito o vento que ninguém segura

não tive forças para impedir

Foi o tudo que faltava em mminha vida

seu olhar foi bala perdida

que conseguiu me atingir.

Foi o tudo que faltava em mminha vida

seu olhar foi bala perdida

que conseguiu me atingir.

×

Barriga na Costela

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Com a barriga na costela o nosso povo segue agora

sem ter nada na panela

quem cantava hoje chora

Quase sempre de sentinela a fome fere e apavora

a realidade nos revela

o que falta na favela do outro lado joga fora

A realidade nos revela

o que falta na favela do outro lado joga fora.

 

Nosso povo já não sabe prá que Santo ele implora

é um golpe atrás do outro

é só mentira toda hora

O chicote está no lombo, na barriga as esporas

Salve-nos São Benedito,

tenha dó Nossa Senhora

Salve-nos São Benedito,

tenha dó Nossa Senhora!

Com a barriga na costela o nosso povo segue agora

sem ter nada na panela

quem cantava hoje chora

Quase sempre de sentinela a fome fere e apavora

a realidade nos revela

o que falta na favela do outro lado joga fora

A realidade nos revela

o que falta na favela do outro lado joga fora.

 

Nosso povo já não sabe prá que Santo ele implora

é um golpe atrás do outro

é só mentira toda hora

O chicote está no lombo, na barriga as esporas

Salve-nos São Benedito,

tenha dó Nossa Senhora

Salve-nos São Benedito,

tenha dó Nossa Senhora!

Salve-nos São Benedito,

tenha dó Nossa Senhora!

×

Bobeou Tá Na Poeira

Compositor: Domiciano e Rionegro

 

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

 

A paixão é uma fera que não aceita espora

quando ela nos derruba

sem querer a gente chora

A paixão é uma fera que não aceita espora

quando ela nos derruba

sem querer a gente chora.

 

Saudade não tem peão que consegue dominar

em noites de solidão

ela pula sem parar

Saudade não tem peão que consegue dominar

em noites de solidão

ela pula sem parar.

 

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

 

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

O amor não tem espinho mas consegue machucar

quem fugir do seu caminho

com o tempo vai chorar

O amor não tem espinho mas consegue machucar

quem fugir do seu caminho

com o tempo vai chorar.

 

Se uma paixão vai embora e o amor fica desfeito

a saudade vira espora

machucando nosso peito

Se uma paixão vai embora e o amor fica desfeito

a saudade vira espora

machucando nosso peito.

 

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

 

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

No rodeio da paixão a saudade é puladeira

na arena do amor

bobeou, tá na poeira.

×

Cem Por Cento

Compositor: Domiciano e Solo

 

Pode encher o copo que hoje eu aguento

estou cem por cento, estou cem por cento

Pode encher o copo que hoje eu arrebento

estou cem por cento, estou cem por cento.

 

A mulher foi embora, saiu do meu espaço

estou bonito agora

estou solto no pedaço

Sem o freio de mão coração não tem parada

estou procurando paixão, estou solto na madrugada.

 

Pode encher o copo que hoje eu aguento

estou cem por cento, estou cem por cento

Pode encher o copo que hoje eu arrebento

estou cem por cento, estou cem por cento.

 

A mulher foi embora, saiu do meu espaço

estou bonito agora

estou solto no pedaço

Sem o freio de mão coração não tem parada

estou procurando paixão, estou solto na madrugada.

 

Pode encher o copo que hoje eu aguento

estou cem por cento, estou cem por cento

Pode encher o copo que hoje eu arrebento

estou cem por cento, estou cem por cento.

×

Cerveja na Goela

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Depois que ela foi embora minha vida ficou torta

vai a noite, vem a aurora

só ela que nunca volta

A saudade me machuca, é ferida que não sara

paixão me funde a cuca

nesta solidão maluca, não tem jeito eu encho a cara.

 

Meto cerveja na goela, meto cerveja na goela

fico tontinho, tontinho

prá poder chorar por ela

Choro por ela, choro por ela

Prá fugir da realidade,

prá amenizar a saudade meto cerveja na goela.

 

Meto cerveja na goela, meto cerveja na goela

fico tontinho, tontinho

prá poder chorar por ela!

 

Depois que ela foi embora minha vida ficou torta

vai a noite, vem a aurora

só ela que nunca volta

A saudade me machuca, é ferida que não sara

paixão me funde a cuca

nesta solidão maluca, não tem jeito eu encho a cara.

Meto cerveja na goela, meto cerveja na goela

fico tontinho, tontinho

prá poder chorar por ela

Choro por ela, choro por ela

Prá fugir da realidade,

prá amenizar a saudade meto cerveja na goela.

 

Meto cerveja na goela, meto cerveja na goela

fico tontinho, tontinho

prá poder chorar por ela!

Meto cerveja na goela, meto cerveja na goela

fico tontinho, tontinho

prá poder chorar por ela!

×

Chão Mineiro

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Depois daquele horizonte

existem outros montes com belezas naturais

Apontando o céu de anil

mostrando para o Brasil o chão de Minas Gerais

Em cada monte uma história

na luta por uma glória que hoje o Brasil ostenta

Quem nasceu naquela terra

no berço lá da serra, viver longe não aguenta.

 

Estou sempre nas estradas

vivendo sem paradeiro

No momento de sonhar

estou sempre a soluçar, lembrando o meu chão mineiro.

 

As águas de suas cascatas

banhando as verdes matas é beleza que fascina

Até a lua lá no espaço

diminui sempre seus passos ao cruzar o chão de Minas

Já disseram uma verdade

que o mar no fim da tarde aumenta sempre seus ais

São as ondas murmurando

sobre a areia lamentando não banhar Minas Gerais.

Estou sempre nas estradas

vivendo sem paradeiro

No momento de sonhar

estou sempre a soluçar, lembrando o meu chão mineiro.

Estou sempre nas estradas

vivendo sem paradeiro

No momento de sonhar

estou sempre a soluçar, lembrando o meu chão mineiro.

×

Cheiro de Saudade

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Quando a solidão bate forte

Até mesmo a morte

É desejada

O coração é o que mais sente

Por estar ausente

Da pessoa amada

 

Quando o silêncio fere fundo

Até mesmo o mundo

Perde o colorido

Não há como encontrar um jeito

De arrancar do peito

Um amor perdido

Não há como encontrar um jeito

De arrancar do peito

Um amor perdido

Até mesmo a voz do vento

Fala dos momentos

De felicidade

Na fronha do travesseiro

Há sempre um cheiro

Cheiro de saudade

 

As horas ficam lentas

E a noite aumenta

A solidão

O pranto que derrama

Vai molhando a cama

Molhando de paixão

 

Quando o silêncio fere fundo...

×

Conversa de Bar

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Em uma conversa de bar

Disse me um grande amigo

Que ela pensa em voltar

Para seu velho abrigo

 

Disse que se arrependeu

De tudo que fez comigo

Dei à ela o meu amor

Foi meu pior castigo

 

Tudo que ele dizia meu coração ouvia

De sentinela

Mas o que ele não sabia é que ali eu me via

Pensando nela

 

Com aquela conversa de bar

Vim novamente à sonhar

Com aquele amor

Senti-me voltando pra vida

E até mesmo a bebida

Teve mais sabor

Senti-me voltando pra vida

E até mesmo a bebida

Teve mais sabor

Disse que se arrependeu

De tudo que fez comigo

Dei à ela o meu amor

Foi meu pior castigo

 

Tudo que ele dizia meu coração ouvia

De sentinela

Mas o que ele não sabia é que ali eu me via

Pensando nela

 

Com aquela conversa de bar

Vim novamente à sonhar

Com aquele amor

Senti-me voltando pra vida

E até mesmo a bebida

Teve mais sabor

Senti-me voltando pra vida

E até mesmo a bebida

Teve mais sabor

×

Coração Machucado

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

Saudade machuca tanto

Chega à nos deixar doente

Saudade pior no entanto

É a de quem está presente

O que houve entre nós dois

Que já não há felicidade

Tudo está tão diferente

Mesmo com você presente

É motivo de saudade

 

Ê coração machucado

Amor desencontrado

Paixão que não tem fim

Chega, esquecer é preciso

Coração sem juízo

Não me maltrate assim

Tristemente hoje me vejo

Com saudade do passado

Dos abraços e dos beijos

Dos momentos apaixonados

Mesmo estando assim tão perto

Nos sentimos separados

Sei que hoje na verdade

Estou vivendo de saudade

De quem vive ao meu lado

 

Ê coração machucado

Amor desencontrado

Paixão que não tem fim

Chega, esquecer é preciso

Coração sem juízo

Não me maltrate assim

×

Declive da Ilusão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Quantas madrugads frias

Colecionando fantasias

Pelas noites eu seguia

Um boêmio, um qualquer

Sem saber da vida o segredo

Eu seguia sem ter medo

Toda noite um brinquedo

Nas mãos de uma mulher

Sentado no topo da mesa

Com um porte de nobreza

Eu sorria da tristeza

Desafiando a razão

Tratando a vida com egoísmo

Os conselhos com sinismo

Fui cavando meu abismo

No declive da ilusçao

Hoje sem o calor de um afeto

Vou seguindo no deserto

Que o desino me legou

O silêncio dos caminhos

Prova que eu estou sozinho

Nem um amigo me restou

Todos foram amigos do dinheiro

Os amores passageiros

Só brincaram de paixão

Ontem quem julgava o rei da festa

Hoje é um pobre que contesta

O tudo que lhe resta

O vazio da solidão

 

Hoje sem o calor de um afeto...

×

Embala Morena

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Embala morena, embala

Embala o teu gingado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

 

Embala morena, embala

Embala o teu gingado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

 

Não quero pensar no dia

E nem que a noite se acabe

Hoje sei que estou aqui

Amanhã só deus quem sabe

 

Esqueça a madrugada

Que a folia continua

O sol não está com nada

Gosto mesmo é da lua

O sol não está com nada

Gosto mesmo é da lua

Embala morena, embala

Embala o teu gingado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

 

Embala morena, embala

Embala o teu gingado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

Você vai me embalando

E me deixando apaixonado

×

Está do Jeito que Eu Queria

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão

tem gente do lado de fora

que não coube no salão

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

 

Quem chegou atrasado está perdendo a folia

vai dormir apaixonado,

curtindo uma cama fria

Aqui dentro está lotado, está do jeito que eu queria

deixa a tristeza de lado,

Deixa amanhecer o dia

Deixa a tristeza de lado,

deixa amanhecer o dia.

 

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão

tem gente do lado de fora

que não coube no salão

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

 

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão

tem gente do lado de fora

que não coube no salão

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

Aqui não se fala em crise, ninguém lembra do patrão

todo mundo está feliz,

não se pensa em solidão

A morena está nos braços, a latinha está na mão

estou bonito no pedaço,

vai rolar muita paixão

Estou bonito no pedaço,

vai rolar muita paixão.

 

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão

tem gente do lado de fora

que não coube no salão

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão

tem gente do lado de fora

que não coube no salão

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

Tem gente batendo o pé, tem gente batendo a mão.

×

Eu Quero Bis

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Pode acender, acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira

Pode, pode, pode, pode acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira.

 

Da vida não leva nada, o que importa é ser feliz

se hoje tem churrascada,

amanhã eu quero bis

Eu vivo o agora, o depois é fantasia

prá cerveja não tem hora

prá picanha não tem dia.

Eu vivo o agora, o depois é fantasia

prá cerveja não tem hora

prá picanha não tem dia.

 

Pode acender, acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira

Pode, pode, pode, pode acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira.

Da vida não leva nada, o que importa é ser feliz

se hoje tem churrascada,

amanhã eu quero bis

Eu vivo o agora, o depois é fantasia

prá cerveja não tem hora

prá picanha não tem dia.

Eu vivo o agora, o depois é fantasia

prá cerveja não tem hora

prá picanha não tem dia.

 

Pode acender, acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira

Pode, pode, pode, pode acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira.

 

Pode acender, acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira

Pode, pode, pode, pode acender a churrasqueira

não quero nem saber se é segunda feira.

Não quero nem saber se é segunda feira.

×

Fechou o Tempo

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Fechou o tempo escureceu e ficou preto um alguém que foi embora

Bagunçou o meu coreto, coração que era certo já apresenta algum defeito

Um desprezo de um amor desconserta um sujeito

Fechou o tempo escureceu e ficou preto um alguém que foi embora

Bagunçou o meu coreto, coração que era certo já apresenta algum defeito

Viver sem o seu calor bato o pé e não aceito

 

Perdi a minha fome, não durmo mais direito

A saudade me consome ferindo o meu peito

Pra esquecer esse amor francamente não tem jeito

Viver sem o seu calor

Bato o pé e não aceito

Fechou o tempo escureceu e ficou preto um alguém que foi embora

Bagunçou o meu coreto, coração que era certo já apresenta algum defeito

Um desprezo de um amor desconserta um sujeito

Perdi a minha fome, não durmo mais direito

A saudade me consome ferindo o meu peito

Pra esquecer esse amor francamente não tem jeito

Viver sem o seu calor

Bato o pé e não aceito

Fechou o tempo escureceu e ficou preto um alguém que foi embora

Bagunçou o meu coreto, coração que era certo já apresenta algum defeito

Um desprezo de um amor desconserta um sujeito

Fechou o tempo escureceu e ficou preto um alguém que foi embora

Bagunçou o meu coreto, coração que era certo já apresenta algum defeito

Um desprezo de um amor desconserta um sujeito

Viver sem o seu calor

Bato o pé e não aceito

Viver sem o seu calor

Bato o pé e não aceito

×

Fragmentos de Saudade

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

Pelos caminhos

Que tem passado

Não sei se tem observado

Fragmentos de saudade

Algumas frases rabiscadas

Pelos muros e calçadas

Nos cantos da cidade

 

Palavras que meu coração ditou

Lembranças que o tempo não levou

Uma paixão que ainda existe

Seu Adeus, não marcou o nosso fim

Você ainda permanece em mim

Nessa saudade que persiste

 

A distãncia separa um beijo

Mas não mata o desejo

Deste beijo novamente

Você continua nos sonhos meus

E após o seu Adeus

Fez-se mais presente

 

Palavras que meu coração ditou...

×

Ilusão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Só valoriza o brilho da luz

Quem já esteve na escuridão

Só descobre o peso da cruz

Aquele que já esteve no chão

 

Você diz que vai embora

Não posso dizer que não

Pois sei que nesta hora

Falará mais alto a ilusão

 

Quantas vezes fui partida

Pensando ser dono da vida

Vivendo apenas o momento

Mas quando me despertava

Era você que eu chamava

Era o seu beijo meu alento

 

Hoje é você quem vai embora

Pensando encontrar lá fora

Outra forma de sentimento

Simplesmente não direi nada

Vai sentir nas madrugadas

O sabor do sofrimento

 

Quantas vezes fui partida...

×

Levanta O Copo

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

A vida é alegria, tristeza eu não topo

vamos brindar a vida, levanta o copo

Levanta o copo, levanta o copo

a vida é alegria, tristeza eu não topo.

 

Com o copo prá cima é só felicidade

a vida não faz rima com a tristeza e a saudade

Pasado é passado o presente não espera

a vida está do seu lado, levanta o copo com a galera.

 

A vida é alegria, tristeza eu não topo

vamos brindar a vida, levanta o copo

Levanta o copo, levanta o copo

a vida é alegria, tristeza eu não topo.

 

Com o copo prá cima é só felicidade

a vida não faz rima com a tristeza e a saudade

Pasado é passado o presente não espera

a vida está do seu lado, levanta o copo com a galera.

 

A vida é alegria, tristeza eu não topo

vamos brindar a vida, levanta o copo

Levanta o copo, levanta o copo

a vida é alegria, tristeza eu não topo.

×

Lua Dos Sonhos Meus

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Da janela do apartamento

Vejo a lua em movimento

Em busca do horizonte

Meu coração neste momento

Pelo atalho do pensamento

Busca um alguém distante

 

No infinito dessa saudade

Vejo a lua sem claridade

Na neblina do adeus

A solidão em mim continua

Apagando o brilho da lua

Lua dos sonhos meus

 

Neste momento de conflito

Busco no brilho do infinito

O brilho dos olhos dela

Mas é tudo uma ilusão

Só me resta a solidão

E o vazio dessa janela

No infinito dessa saudade

Vejo a lua sem claridade

Na neblina do adeus

A solidão em mim continua

Apagando o brilho da lua

Lua dos sonhos meus

 

Neste momento de conflito

Busco no brilho do infinito

O brilho dos olhos dela

Mas é tudo uma ilusão

Só me resta a solidão

E o vazio dessa janela

×

Machucado de paixão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Paixão doença maluca

Que fere e nos maltrata

Quase sempre nos machuca

De repente as vezes mata

 

Meu coração deu bobeira

Neste drama vivo agora

Vou partir para a "zueira"

Vou rolar pela poeira

Jogar a paixão pra fora

 

Ela

Foi embora e me deixou na solidão

Eu fiquei no abandono (BIS)

Sem ter fome e nem sono

Machucado de paixão

 

Paixão doença maluca...

×

Mete a Botina

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Você que foi desprezado e se entregou à solidão

hoje vive acorrentado

no esteio da paixão

Deixar a vida de lado, não é esta a solução

dá um chute no passado,

sai dessa meu irmão.

 

Jogue cerveja no peito prá congelar a saudade

existe sempre um jeito

de mudar a realidade

Se a paixão passou da conta, se a solidão te domina

fique de cabeça tonta,

chega o reio, mete a botina.

Jogue cerveja no peito prá congelar a saudade

existe sempre um jeito

de mudar a realidade

Se a paixão passou da conta, se a solidão te domina

fique de cabeça tonta,

chega o reio, mete a botina.

Você que foi desprezado e se entregou à solidão

hoje vive acorrentado

no esteio da paixão

Deixar a vida de lado, não é esta a solução

dá um chute no passado,

sai dessa meu irmão.

 

Jogue cerveja no peito prá congelar a saudade

existe sempre um jeito

de mudar a realidade

Se a paixão passou da conta, se a solidão te domina

fique de cabeça tonta,

chega o reio, mete a botina.

Jogue cerveja no peito prá congelar a saudade

existe sempre um jeito

de mudar a realidade

Se a paixão passou da conta, se a solidão te domina

fique de cabeça tonta,

chega o reio, mete a botina.

×

Na Fogueira Da Paixão

Compositor: Domiciano e Romilton

 

Seu abraço com malícia

é mais que uma delícia é mesmo uma loucura

O seu beijo assim molhado

vai me deixando atiçado, me levando à fervura.

 

O seu garra é tão quente

que me deixa dependente desta sua safadeza

Meu suor vai escorrendo

sinto o corpo derretendo feito uma vela acesa.

 

Nosso encontro é uma guerra

cada beijo é uma explosão

Quando estamos amando

somos lenha queimando na fogueira da paixão.

Nosso encontro é uma guerra

cada beijo é uma explosão

Quando estamos amando

somos lenha queimando na fogueira da paixão.

O seu garra é tão quente

que me deixa dependente desta sua safadeza

Meu suor vai escorrendo

sinto o corpo derretendo feito uma vela acesa.

 

Nosso encontro é uma guerra

cada beijo é uma explosão

Quando estamos amando

somos lenha queimando na fogueira da paixão.

Nosso encontro é uma guerra

cada beijo é uma explosão

Quando estamos amando

somos lenha queimando na fogueira da paixão.

Na fogueira da paixão, na fogueira da paixão.

×

Nem Morto

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

 

Não se consegue mudar quem nasceu fora do rumo

não é fácil endireitar

um coração fora do prumo

Nos caminhos da paixão meu andar é sempre torto

você me quer em suas mãos

eu digo:-Não, nem morto!

 

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

 

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

Não se consegue mudar quem nasceu fora do rumo

não é fácil endireitar

um coração fora do prumo

Nos caminhos da paixão meu andar é sempre torto

você me quer em suas mãos

eu digo:-Não, nem morto!

 

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

Você quer me por na linha mulher, meu coração escorrega

se você me por na linha mulher

"o trem me pega"

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

Se você me por na linha mulher

"o trem me pega".

×

Nem O Tempo Cicatriza

Compositor: Domiciano e Rionegro

 

No coração de um homem que se entrega à bebida

há sempre uma mulher,

uma paixão mal reslovida

Por trás de cada louco que se perde nas calçadas

há sempre uma mulher,

uma paixão mal acabada.

 

Paixão,

é um mal quase sem cura

é doença que tortura quem na vida já amou

Paixão,

é um mal que martiriza

nem o tempo cicatriza onde ela machucou.

 

No coração de uma mulher que se entrega à solidão

existe sempre um homem

que feriu sua ilusão

Por trás de cada lágrima,

no pranto da saudade

existe um coração que amou de verdade.

Paixão,

é um mal quase sem cura

é doença que tortura quem na vida já amou

Paixão,

é um mal que martiriza

nem o tempo cicatriza onde ela machucou.

Paixão,

é um mal que martiriza

nem o tempo cicatriza onde ela machucou.

×

No Embalo Da Marvada

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

A bebida mata aos poucos mas não sou nenhum louco

prá ter pressa de morrer

enquanto eu estiver vivo não quero ter motivo

para deixar de beber.

Com ela sempre me ajeito

jogo a marvada no peito e deixo o mudo girar

Com a marvada na veia

até mesmo mulher feia tenho pique prá encarar.

 

No embalo da marvada

atravesso a madrugada namorando a lua cheia

De garrafa ou de lata

a bebida nunca mata, a marvada só tonteia.

 

A bebida mata aos poucos mas não sou nenhum louco

prá ter pressa de morrer

enquanto eu estiver vivo não quero ter motivo

para deixar de beber.

Com ela sempre me ajeito

jogo a marvada no peito e deixo o mudo girar

Com a marvada na veia

até mesmo mulher feia tenho pique prá encarar.

No embalo da marvada

atravesso a madrugada namorando a lua cheia

De garrafa ou de lata

a bebida nunca mata, a marvada só tonteia.

No embalo da marvada

atravesso a madrugada namorando a lua cheia

De garrafa ou de lata

a bebida nunca mata, a marvada só tonteia.

×

No Pique Da Madrugada

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Hoje arrebento tudo, vou partir para a folia

solidão é um absurdo,

quero paz, quero alegria

Vou entortar o caneco, vou rolar pelas calçadas

amanhecer nos butecos,

no pique da madrugada.

 

Quando a saudade corta paixão escorre do peito

o caneco a gente entorta,

quebra tudo e dá um jeito

Se a paixão passar da conta coração fica zuado

pelas noites ele apronta

e amanhece turbinado.

Pelas noites ele apronta

e amanhece turbinado.

 

Hoje arrebento tudo, vou partir para a folia

solidão é um absurdo,

quero paz, quero alegria

Vou entortar o caneco, vou rolar pelas calçadas

amanhecer nos butecos,

no pique da madrugada.

Quando a saudade corta paixão escorre do peito

o caneco a gente entorta,

quebra tudo e dá um jeito

Se a paixão passar da conta coração fica zuado

pelas noites ele apronta

e amanhece turbinado.

Pelas noites ele apronta

e amanhece turbinado.

 

Hoje arrebento tudo, vou partir para a folia

solidão é um absurdo,

quero paz, quero alegria

Vou entortar o caneco, vou rolar pelas calçadas

amanhecer nos butecos,

no pique da madrugada.

×

Objetos Esquecidos

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Peguei tudo que esqueceu joguei prá fora desta casa

Foi inútil o pensamento meu

a saudade ainda me arrasa

Foi em vão minha vontade, o meu tempo foi perdido

é triste a realidade

descobri que a saudade não estava na verdade

nos objetos esquecidos.

 

Troquei de tudo, até mesmo nossa cama

mas parece um absurdo

ainda sinto sua chama

Não existe uma saída prá fugir desta paixão

você persiste em minha vida

em cada batida do meu coração.

 

Foi em vão minha vontade, o meu tempo foi perdido

é triste a realidade

descobri que a saudade não estava na verdade

nos objetos esquecidos.

Troquei de tudo, até mesmo nossa cama

mas parece um absurdo

ainda sinto sua chama

Não existe uma saída prá fugir desta paixão

você persiste em minha vida

em cada batida do meu coração.

Você persiste em minha vida

em cada batida do meu coração.

×

O Povo Quer Folia

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria.

 

Deixe a tristeza em casa, prá folia vem sozinho

dos problemas corte as asas,

deixe eles no caminho

Felicidade não tem freio,solidão não tem raíz

a tristeza hoje não veio,

hoje a lei é ser feliz.

 

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria.

 

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria.

Deixe a tristeza em casa, prá folia vem sozinho

dos problemas corte as asas,

deixe eles no caminho

Felicidade não tem freio,solidão não tem raíz

a tristeza hoje não veio,

hoje a lei é ser feliz.

 

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria

O povo tá na praça, o povo quer folia

sorriso é de graça, a vida é alegria.

×

Outra Briga

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Brigas, outra briga

em nossas vidas novamente a despedida

sem motivo, sem razão

Novamente separados

outra vez um passo errado

nas estradas da paixão

Brigas, outra briga

é sempre assim

prometemos que é o fim sem pensar na solidão

Mas ao nos ver sozinhos

voltamos nos mesmos caminhos

sempre em busca do perdão.

 

Porque tantas brigas por bobagens

não vamos mudar as paisagens

que molduram nossos caminhos

Porque ficar chorando pelos cantos

camuflando sorrisos com pranto,

transformando flores em espinhos.

Brigas, outra briga

é sempre assim

prometemos que é o fim sem pensar na solidão

Mas ao nos ver sozinhos

voltamos nos mesmos caminhos

sempre em busca do perdão.

 

Porque tantas brigas por bobagens

não vamos mudar as paisagens

que molduram nossos caminhos

Porque ficar chorando pelos cantos

camuflando sorrisos com pranto,

transformando flores em espinhos.

 

Brigas, outra briga!!!

×

Ovelha Perdida

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Aconselhado por um amigo

resolvi falar contigo por isso aqui estou

Não sei se eu deveria vir

nem mesmo se irás ouvir quem nunca te escutou.

 

Sei que a gente só te procura

quando a estrada fica escura e se perde a direção

Pelo amor expressado na cruz

é que te peço "Jesus", estenda-me tua mão.

 

Meu coração reconhecendo seus crimes

humildemente se redime de joelho à teus pés

Se a ovelha perdida é a que mais te importa

abra-me Senhor tua porta, acolha-me em tua fé.

Sei que a gente só te procura

quando a estrada fica escura e se perde a direção

Pelo amor expressado na cruz

é que te peço "Jesus", estenda-me tua mão.

 

Meu coração reconhecendo seus crimes

humildemente se redime de joelho à teus pés

Se a ovelha perdida é a que mais te importa

abra-me Senhor tua porta, acolha-me em tua fé.

Se a ovelha perdida é a que mais te importa

abra-me Senhor tua porta, acolha-me em tua fé.

×

Página da Saudade

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Passando novamente em sua casa

Observei uma curiosidade

Um papel com batom contornado

E no centro entitulado

Página da saudade

 

Moldurado por seus lábios bonitos

Vi o meu nome escrito

De lágrimas manchado

A explicação estava num canto

Foram gotas do pranto

De um coração apaixonado

 

Descobri na ternura daquele momento

São iguais os nossos sentimentos

Também sofro com a solidão

A realidade para nós foi tão cruel

Hoje colocamos no papel

Fragmentos da nossa paixão

 

Moldurado por seus lábios bonitos...

×

Pássaro Ferido

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Quando você saiu dos meus braços

pediu-me prá cruzar outro espaço,

para não seguir sozinho

Mas ao fazer seu pedido

esqueceu que um pássaro ferido

não consegue fugir do ninho.

 

Confesso que tentei ruflar as asas

para fugir da solidão desta casa,

mas foi tudo ilusão

Ao buscar o calor de outro carinho

descobri que só tem um caminho,

que só conheço uma direção.

 

É você,

da minha vida o resumo

mesmo quando tento outro rumo eu me vejo em sua rua

É você, é você,

a saudade, a solidão

a dor que embala esta paixão que em meu peito continua.

Confesso que tentei ruflar as asas

para fugir da solidão desta casa,

mas foi tudo ilusão

Ao buscar o calor de outro carinho

descobri que só tem um caminho,

que só conheço uma direção.

 

É você,

da minha vida o resumo

mesmo quando tento outro rumo eu me vejo em sua rua

É você, é você,

a saudade, a solidão

a dor que embala esta paixão que em meu peito continua.

É você, é você,

a saudade, a solidão

a dor que embala esta paixão que em meu peito continua.

×

Pergunte À Lua

Compositor: Domiciano e Rionegro

 

Não pergunte ao sol se ainda choro por você

pergunte por favor à lua, pois o sol já não me vê

Sou agora um pobre boêmio

perdido nos braços de uma saudade

Só lhe procuro pelas madrugadas

por isso o sol não sabe de nada, mas a lua conhece a realidade.

 

Por esse amor ainda sofro tanto

a lua é testemunha do pranto que rola dos olhos meus

Busco seus beijos no sabor da bebida

mas o que sinto em minha vida é o gosto amargo do seu adeus.

 

Sou agora um pobre boêmio

perdido nos braços de uma saudade

Só lhe procuro pelas madrugadas

por isso o sol não sabe de nada, mas a lua conhece a realidade.

 

Por esse amor ainda sofro tanto

a lua é testemunha do pranto que rola dos olhos meus

Busco seus beijos no sabor da bebida

mas o que sinto em minha vida é o gosto amargo do seu adeus.

×

Poeira da Saudade

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo & Paulo Vítor

 

Quando ouço um berrante

um soluço sufocante acelera a emoção

Em meu peito machucado

parece que sinto o gado pisotear o coração

Quantas vezes pelas estradas

no silêncio das madrugadas era ele que se ouvia

com seu toque apaixonado

conduzia todo gado com a sua melodia.

 

E quando vejo passar uma boiada

de outra forma transportada dá vontade de chorar

É triste aceitar a realidade

sentindo a poeira da saudade o meu rosto acariciar.

 

Sempre que ouço uma canção

falando da vida do peão o pranto sempre rola

Pois me vejo no passado

pelos amigos rodeado ponteando uma viola

Hoje distante de tudo isso

sou apenas um submisso preso às recordações

Sei que agora só me resta

por as botas, ir à festa, aplaudir outros peões.

 

E quando vejo passar uma boiada

de outra forma transportada dá vontade de chorar

É triste aceitar a realidade

sentindo a poeira da saudade o meu rosto acariciar.

Autores:Quando ouço um berrante

um soluço sufocante acelera a emoção

Em meu peito machucado

parece que sinto o gado pisotear o coração

Quantas vezes pelas estradas

no silêncio das madrugadas era ele que se ouvia

com seu toque apaixonado

conduzia todo gado com a sua melodia.

 

E quando vejo passar uma boiada

de outra forma transportada dá vontade de chorar

É triste aceitar a realidade

sentindo a poeira da saudade o meu rosto acariciar.

 

Sempre que ouço uma canção

falando da vida do peão o pranto sempre rola

Pois me vejo no passado

pelos amigos rodeado ponteando uma viola

Hoje distante de tudo isso

sou apenas um submisso preso às recordações

Sei que agora só me resta

por as botas, ir à festa, aplaudir outros peões.

 

E quando vejo passar uma boiada

de outra forma transportada dá vontade de chorar

É triste aceitar a realidade

sentindo a poeira da saudade o meu rosto acariciar.

×

Quebradeira

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

É hoje que a terra treme

O pau cai a folha e a cobra fuma

Coração apaixonado

Acorrentado não se acostuma

 

É hoje que tem enguiço

Meu compromisso deixo de lado

Pode até dar confusão

Mas meu coração está dominado

 

Falei pra minha mulher

Que agora eu não posso ir

Sei que vai ser um sufoco

Mas eu acho pouco se a casa cair

 

Ela pode quebrar tudo

Botar fogo no colchão

Pode queimar o sofá

Eu não vou me importar

Eu durmo no chão

Pode virar jararaca

Pegar faca e facão

Pode perder a estribeira

Fazer quebradeira

Virar furacão

 

Quebra, quebra, quebra tudo

Quebra tudo o que tiver

Quebra, quebra, quebra tudo

Faça lá o que bem quiser

 

Quebra, quebra, quebra tudo

Que hoje eu topo o que vier

O que importa agora

E cachaça, viola, folia e mulher

×

Resto De Cerveja

Compositor: Domiciano e Carrerito

 

Quem nunca bebeu por uma mulher

não pode dizer que já foi feliz

Quem não admite beber de saudade

na realidade não sabe o que diz

Quem nunca bebeu por uma paixão

não conhece o gosto que essa vida tem

O quanto é sublime beber e sonhar

na mesa de um bar, pensando em alguém.

 

Nesse instante a saudade vai embora

enquanto lá fora a noite se orvalha

Escrevo o seu nome prá que o mundo veja

com resto de cerveja sobre a toalha.

 

Quem nunca bebeu por uma paixão

não conhece o gosto que essa vida tem

O quanto é sublime beber e sonhar

na mesa de um bar, pensando em alguém.

 

Nesse instante a saudade vai embora

enquanto lá fora a noite se orvalha

Escrevo o seu nome prá que o mundo veja

com resto de cerveja sobre a toalha.

×

Rodeio da Mulher

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Tem saudade derramando

Vazando pelo ladrão

Tem um coração sangrando

Nas esporas da paixão

 

Tem alguém se arrastando

Nos trilhos da solidão

Tem um homem dizendo sim

E uma mulher dizendo não

 

No brete de seus braços

Ela me jogou o arreio

Com as dobras de seu laço

Me amarrou em seu esteio

 

Quis partir para o abraço

Ela me puxou no freio

Mesmo antes da saída

Se mandou da minha vida

E acabou com meu rodeio

Na poeira da saudade existe mais um peão

O pulo da realidade conseguiu me por no chão

Dentro do meu coração ela faz o que bem quer

Não existe campeão na arena da paixão

No rodeio da mulher

 

No brete de seus braços

Ela me jogou o arreio

Com as dobras de seu laço

Me amarrou em seu esteio

 

Quis partir para o abraço

Ela me puxou no freio

Mesmo antes da saída

Se mandou da minha vida

E acabou com meu rodeio

 

Na poeira da saudade existe mais um peão

O pulo da realidade conseguiu me por no chão

Dentro do meu coração ela faz o que bem quer

Não existe campeão na arena da paixão

No rodeio da mulher

×

Só Manguaçando

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Estou desprezado, estou pastando

estou derrubado, só manguaçando

Estou inflamável eu abro o jogo

não risque um fósforo que eu pego fogo.

 

Com a cerveja até o pescoço

outro amor não adianta

A cerveja é meu almoço, cerveja também na janta

Estou derrubando a praça

ssem ela em meus braços

coração já não disfarça, mete a cara na cachaça

e depois chupa o bagaço

Estou sempre chapado,

prá lá de apaixonado

Meu estado é lamentável, no buteco eu falo assim:

-Não fumem perto de mim que estou inflamável.

 

Estou desprezado, estou pastando

estou derrubado, só manguaçando

Estou inflamável eu abro o jogo

não risque um fósforo que eu pego fogo.

Estou sempre chapado,

prá lá de apaixonado

Meu estado é lamentável, no buteco eu falo assim:

-Não fumem perto de mim que estou inflamável.

 

Estou desprezado, estou pastando

estou derrubado, só manguaçando

Estou inflamável eu abro o jogo

não risque um fósforo que eu pego fogo.

Estou inflamável eu abro o jogo

não risque um fósforo que eu pego fogo.

Não risque um fósforo que eu pego fogo.

×

Só Me Resta a Solidão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Construí uma mansão

Só pra viver com ela

Fiz as portas de paixão

De amor fiz as janelas

 

Cada minuto ao seu lado

Foi vivido com emoção

Cada beijo apaixonado

Era um tijolo colocado

Na parede da mansão

 

Entreguei meu coração

Dei amor e fui amigo

Mas na sombra da ilusão

Nos braços de outra paixão

Ela fez seu novo abrigo

Perdi os carinhos dela

Só me resta a solidão

Se for pra viver sem ela

Vou viver numa favela

E derrubar essa mansão

Se for pra viver sem ela

Vou viver numa favela

E derrubar essa mansão

 

Cada minuto ao seu lado ...

×

Sonhei Com Ela

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Sonhei com ela

Nesta madrugada

E a minha fronha (BIS)

Amanheceu molhada

 

É sempre assim

Quando isto acontece

O sono chega ao fim

E o meu pranto desce

Abraço o travesseiro

A solidão me invade

E o dia inteiro

Sinto seu cheiro

Cheiro de saudade

E o dia inteiro

Sinto seu cheiro

Cheiro de saudade

 

Sonhei com ela

Nesta madrugada

E a minha fronha (BIS)

Amanheceu molhada

×

Tem Mulher Demais No Mundo

Compositor: Domiciano e Paulo Vítor

 

Tem mulher demais no mundo, não precisa choradeira

você não será a última, também não foi a primeira

Foi somente mais uma dessas paixões passageiras

quem chora águas passadas não sabe abrir torneira.

 

Quando um amor vai embora digo apenas vá depressa

ao passado não dou bola

só o presente me interessa

Vivo de bem com a vida, sem driblar a realidade

todo amor que vai embora

leva junto a saudade.

 

Tem mulher demais no mundo, não precisa choradeira

você não será a última, também não foi a primeira

Foi somente mais uma dessas paixões passageiras

quem chora águas passadas não sabe abrir torneira.

Quando um amor vai embora digo apenas vá depressa

ao passado não dou bola

só o presente me interessa

Vivo de bem com a vida, sem driblar a realidade

todo amor que vai embora

leva junto a saudade.

 

Tem mulher demais no mundo, não precisa choradeira

você não será a última, também não foi a primeira

Foi somente mais uma dessas paixões passageiras

quem chora águas passadas não sabe abrir torneira.

×

Teu Fogo

Compositor: Domiciano e Alex Pimenta

 

Morena este teu gingado

Teu rebolado me deixam louco

Teu corpo assim moreno

É um veneno que mata aos poucos

 

A malícia do teu gingado

É o pecado que me condena

Já me sinto acorrentado

No rebolado destamorena

Já me sinto acorrentado

No rebolado destamorena

 

Morena

Morena minha loucura

Quem te procura faz o teu jogo

Morena

Morena deixa eu te amar

Para me queimar nesse teu fogo

Morena deixa eu te amar

Para me queimar nesse teu fogo

×

Triste Lamento

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Desde que tú partistes

a solidão cruzou meus trilhos

Tornei-me um homem triste

e a vida perdeu o brilho

Já não sei o que fazer

com a lembrança que ficou

Fiz de tudo prá te esquecer, mas a saudade não deixou.

 

Toda noite quando o vento embala a minha vóz cansada

o meu canto é um triste lamento

no silêncio da madrugada

Mas tú dormes tranquilamente

sei que não escutas o meu cantar

Pior é saber que infelizmente já não sou parte do teu sonhar.

 

Já não sei o que fazer

com a lembrança que ficou

Fiz de tudo prá te esquecer, mas a saudade não deixou.

 

Toda noite quando o vento embala a minha vóz cansada

o meu canto é um triste lamento

no silêncio da madrugada

Mas tú dormes tranquilamente

sei que não escutas o meu cantar

Pior é saber que infelizmente já não sou parte do teu sonhar.

×

Vento do Adeus

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Saudade está machucando,

está machucando sem dó

Ela está judiando,

está judiando de um coração que ficou só.

 

O vento do adeus abalou minha estrutura

o meu mundo escureceu,

minha vida está escura

Sem a luz dos olhos dela não encontro a direção

felicidade foi com ela, comigo ficou paixão

Felicidade foi com ela, comigo ficou paixão.

 

Saudade está machucando,

está machucando sem dó

Ela está judiando,

de um coração que ficou só.

Ela está judiando,

está judiando de um coração que ficou só.

Saudade está machucando,

está machucando sem dó

Ela está judiando,

está judiando de um coração que ficou só.

 

O vento do adeus abalou minha estrutura

o meu mundo escureceu,

minha vida está escura

Sem a luz dos olhos dela não encontro a direção

felicidade foi com ela, comigo ficou paixão

Felicidade foi com ela, comigo ficou paixão.

 

Saudade está machucando,

está machucando sem dó

Ela está judiando,

de um coração que ficou só.

Ela está judiando,

está judiando de um coração que ficou só.

Ela está judiando,

está judiando de um coração que ficou só.

×

Vou Voltar a Ser Peão

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Já preparei meu laço

Já peguei minhas esporas

Paixão joguei pro espaço

Solidão mandei embora

O calor de um arreio

Aquece mais que uma ilusão

Estou voltando pro rodeio

Vou voltar a ser peão

 

Deixei tudo por ela

Hoje vejo que errei

Mulher é barra pesada

É muito mais complicada

Do que um touro de rodeio

Estou voltando pra arena

Estou fugindo da paixão

Vou fugir da sua vida

Amor de mulher fingida

Não derruba um peão

 

Deixei tudo por ela

Hoje vejo que errei

Mulher é barra pesada

É muito mais complicada

Do que um touro de rodeio

 

Já preparei meu laço...

×

Xote do Caranguejo

Compositor: Domiciano e Pedro Paulo

 

Você diz que vai embora

por favor que seja agora, não fique azucrinando

A paixão prá mim é assim

quando uma chega ao fim, já tem outra começando.

 

É prá frente que se anda, oh!, oh!

para trás só caranguejo

Coração em mim não manda, oh!, oh!

sem freiar os seus desejos

O passado nunca volta essa é a grande verdade

vive bem quem fecha a porta

prá tristeza e a saudade

Não me preocupa no presente o que o futuro me reserva

sou um cara consciente

ninguém fica prá semente,

chega um dia de-repente, vem a morte e daqui me leva.

 

É prá frente que se anda, oh!, oh!

para trás só caranguejo

Coração em mim não manda, oh!, oh!

sem freiar os seus desejos.

É prá frente que se anda, oh!, oh!

para trás só caranguejo

Coração em mim não manda, oh!, oh!

sem freiar os seus desejos

O passado nunca volta essa é a grande verdade

vive bem quem fecha a porta

prá tristeza e a saudade

Não me preocupa no presente o que o futuro me reserva

sou um cara consciente

ninguém fica prá semente,

chega um dia de-repente, vem a morte e daqui me leva.

 

É prá frente que se anda, oh!, oh!

para trás só caranguejo

Coração em mim não manda, oh!, oh!

sem freiar os seus desejos.

Sem freiar os seus desejos.

×

To Daquele Jeito

Compositor: Pedro Paulo

 

Hoje eu to machucado

Ferido, largado, to daquele jeito

Quem eu amo foi embora

Fez as malas, deu o fora

Não me conformo e não aceito

Garçom sei que só quer meu bem

Mas hoje não escuto ninguém

To decidido, vou encher a cara

Garçom, a coisa ta complicada

Sem ela a vida não vale nada

Hoje perdi minha joia rara

 

Traz mais uma cerveja

Tire as garrafas vazias da mesa

A bebida hoje é meu socorro

Se eu passar da medida

Com você deixo meu endereço

Mais tarde chame um taxi que eu pago o preço

E amanhã eu volto pra beber de novo

×

Escritório

Rua Oswaldo Borges de Freitas nº 2361, Jd. São Luiz II

Franca - SP

CEP: 14402-327

Contato para Shows

WS Produções

(16) 99231-5115

(16) 98164-5653

Redes Sociais

yt Pedro Paulo e Paulo Vitor
fb pedropauloepaulovitor
mbmt - mobile
criado e hospedado por